Apertem o cinto! O Windows sumiu!!!

Semana passada, formatei o iMac. Fazia tempo que queria fazê-lo mas o tempo…. nada. Gosto de formatar o computador 1 vez por ano para me livrar do lixo que vai se acumulando. Não tem manutenção que dê conta de jogar fora cybertralhas. Embora haja programas super úteis para manutenção no Mac e, por que não dizer, grátis ou superbaratinhos, nada como uma boa formatada. Comprei o iMac em março de 2009 e estava mesmo na hora. Queria instalar também o Parallels 5 com o Windows 7, a dobradinha do MacBookPro.

A Val Ivonica me dera a dica de importar a instalação da máquina virtual (o arquivo pvm) para o Parallels evitando aquela rotina infinita de instalar Windows, 200 updates, ligar na Microsoft para pegar o código com n números para validação e tudo o mais. Já estava tudo instaladinho e funcionando: Office 2010, corretor ortográfico, Trados Studio, o Acrobat Standard com suas 15.000 atualizações. Quando instalei o Windows 7, foram 43 updates! É mole? Uma notinha antes de prosseguir. Acho uma tolice essa política da Microsoft de tantas instalações por programa. Combate a pirataria? Todo mundo sabe que não. Gosto do sistema da Apple. Não tem número de série, nunca teve, desde o meu primeiro Mac 15 anos atrás. O iWork é tão civilizado que também não tem.

Back to the cold mouton. Instalei o Parallels, importei o pvm que está no disco externo e terminei de instalar mais umas cositas – no iMac instalo muito mais do que no MBP por uma questão de espaço. No domingo, comecei um trabalho, parei pela metade e desliguei tudo.

Ontem de manhã, panic strikes in the lair of the Iarias. Cadê o Windows que estava aqui? Não, nem George nem Winston deram cabo dele. Sumiu, desapareceu, escafedeu-se, foi parar em outra dimensão. O que fazer? Tia Dédi no calcanhar – uma newsletter mensal que geralmente tem 1500 palavras. Murphy não falha: 2700 neste mês. Por sorte, eu baixara o Swordfish para testar, usei semana passada num texto pequeno e gostei. Importei o tmx e glossário do dropbox e mandei ver. Rapidinho. Depois vem outro post sobre o Swordfish.

Newsletter entregue fui resolver o caso do Windows disparu. Nada, nadinha, zilch. Desinstalei o Parallels e quando mandei importar, ele mostrou uma daquelas mensagens que ninguém e clica Cancel ou OK. Se você estiver importando de uma unidade de disco externo… Sim, eu estava. Caiu a ficha. Bling! Bling! O disco externo estava desligado. Não deixo ligado o tempo todo, por isso não consegui carregar o Windows e já já vocês vão ver por quê. Ficha devidamente no lugar e mico pra lá de pago, copiei o pvm para o disco rígido e importei de lá.

Qual não foi minha surpresa surpresísisma quando, ao carregar o Windows, estava tudo lá: o que instalei depois e a pasta do trabalho em que estava trabalhando! Sim, o Parallels usa aquela instalação como backup! Por isso, precisa deixar o disco ligado. Agora não precisa, pois está no disco rígido.

Só para constar: carreguei o Windows hoje e tudo está fununciando senza vapore.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


%d bloggers like this: